EXPORTAÇÃO DE CAFÉ: porque parece ser tão difícil e arriscado exportar café diretamente e porque quase ninguém fala sobre isso? Entenda todos os processos e o que você precisa saber para fazer isso sozinho!

 

Grão de café
Grão de café cru

O Brasil é o maior produtor, consumidor e exportador de café arábica do mundo, só apenas a venda do grão cru movimenta mais de R$26bi apenas no Brasil e a quantidade de sacas exportadas em 2019 atingiu a marca de mais de 40 milhões, se mais de 70% da produção total de café vai para fora do país.

Por que parece ser tão difícil exportar café?

Por que será que ainda é tão difícil para nós imaginar poder exportar diretamente o nosso café? Talvez falta de informações, conhecimento, acesso, conexões?

Hoje em dia temos tudo isso e um vasto mundo cheio de pessoas apaixonadas por café, querendo cada vez mais contato direto com produtores do Brasil.

Como funciona o processo de exportação direta de café?

Antes de você tomar a decisão de que quer exportar, eu gostaria de te mostrar como funciona a exportação direta, pois quem exporta diretamente consegue mais lucratividade, porém, consequentemente, vem mais trabalho e mais risco.

 

1. Qualidade

O primeiro passo é saber a qualidade do café que você tem na mão. Isso é: saber analisar ou ter alguém de confiança para fazer essa análise por você. Temos um artigo no blog que fala sobre isso! Para acessar é só clicar aqui.

 

2. Abrir mercado com compradores de fora do país

A próxima etapa é você conseguir abrir mercado diretamente com os compradores fora do Brasil ou procurar empresas que te proporcione um comércio direto com transparência total. Você pode fazer isso de duas maneiras:

Mas é importante dizer que, para fazer isso sozinho, ou seja, sem empresas parceiras para te ajudar, você precisa falar bem inglês e conhecer minuciosamente todo o processo, além de necessitar de uma licença para exportar.

 

3. Envio de amostras

Com o contato aberto, você vai precisar enviar amostras para que seu comprador avalie se os cafés que você possui se enquadram nas demandas dele. Geralmente, para se concluir uma exportação e fazer sentido exportar pelo custo de um contêiner, é preciso negociar pelo menos 200 sacas e saber que a capacidade máxima 320 sacas.

 

4. Constância na qualidade

Para você criar um relacionamento com a importadora, diretamente, você precisa ter constância na qualidade, porque eles apostam em relacionamentos de longo prazo e vão precisar sempre deste padrão de qualidade.

Por isso, é muito importante rastrear seus processos dentro da fazenda e saber onde melhorar e onde repetir o que foi feito.

 

5. Desembaraço

Com esse ponto concluído e gerando um contrato internacional, você deverá acionar um despachante onde o desembaraço vai acontecer, para que o contêiner seja enviado para o destino acordado.

Geralmente, as negociações são feitas com o Incotermo FOB ou seja, Free On Board, que significa que os custos da exportação até o contêiner ser posto no navio, ainda em solo brasileiro, é responsabilidade do produtor.

Os custos do contêiner no navio até chegar ao porto de destino é inteiramente responsabilidade do comprador.

 

6. Como é feito o pagamento?

O pagamento dessas negociações é feito assim que você envia as documentações de conclusão da exportação, que é feita antes do contêiner embarcar. Ele pode ser pago a vista ou, em alguns casos, até parcelado.

 

7. Como os valores são calculados?

Os valores por saca são calculados com base na qualidade dos lotes e no valor do dólar por libra/peso (1 libra/peso = 2,2kg), ou seja, uma saca de 60kg pesa 132 libras/peso.

Supondo que o valor que você negociou foi 2 dólares por libra/peso, isso quer dizer que sua saca vai valer 2 dólares x o valor do dólar (que vamos considerar que esteja R$5,00) x 132 libras/peso. Sua saca de 60kg sairia um valor bruto de R$1.320,00.

 

Dessa maneira, o produtor realmente corre o risco do dólar subir ou descer durante a negociação, mas o valor do café na bolsa não interfere na maioria dos casos.

Outro fator importante que eu acredito que você já deve saber é que os cafés exportados vão apenas peneiras graúdas e sem defeitos. Com isso, você deve sempre pensar o quanto que o seu lote vai render com as descrições negociadas e quantas sacas irão ficar no BR pois não se enquadraram.

E, para calcular o valor da sua saca bica corrida, você deve calcular o valor total do seu lote vendido x a quantidade de sacas que se enquadraram para a exportação + o total de sacas que ficaram para venda no brasil x o valor vendido no mercado interno / pela quantidade total de sacas no lote.

Por exemplo:

Então, sua conta do bica corrida vai ser:

 

E NÃO SE ESQUEÇA:

O valor da saca exportada é bruto! Você ainda precisa descontar os custos da exportação até contêiner entrar no navio em solo nacional. Mas não se preocupe, porque o custo não passa de 15% do valor por saca.

 

Se você gostou desse artigo, tenho certeza que você vai gostar dos outros conteúdos que a gente posta aqui no blog. Para conferir é só clicar aqui.

Também temos um canal no Youtube super bacana com conteúdos muito interessantes para o produtor de café. Clique aqui para acessar!

Se tiver alguma dúvida, sugestão ou comentário, deixa aqui em baixo! Vamos adorar conversar com você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *