Como planejar o pós-colheita do café pensando na venda?

O princípio para o melhor resultado e rentabilidade do seu café é o planejamento!
Entender o mercado e suas possibilidades é fundamental, antes de colher seu café tenha sempre em mente o mercado que ele irá atender para que seu pós-colheita do café seja otimizado e personalizado de acordo com suas necessidades.

Antes de tudo conheça sua matéria prima, seu clima e sua estrutura. Rastreie seu lote e tenha o mesmo mapeado para ter uma linha do tempo e assertividade na qualidade e aspecto. Lembrando que o pós colheita é responsável por 60% do resultado do seu café, ele não pode criar qualidade, mas pode mantê-la e até mesmo melhorá-la.

 

Tipos de mercado para café

Além de mostrar os tipos de mercado que você pode vender seu café, veja algumas dicas sobre a pós-colheita.

Venda Convencional

Para ter uma venda garantida e valorizada em questão de custo X benefício é necessário saber que as empresas de mercado interno prezam por aspecto, pois seu intuito é quantidade, ligas e volume.

Nesse caso preze por uma aparência boa e peneira superior, a atenção na secagem é de suma importância para o resultado de aspecto, escolha a secagem grão a grão para que a seca seja mais rápida e uniforme, cuidado para não pisar e danificar os grãos, lembre-se que a aparência é fundamental.

Terreiro de café

 

Entrega de contratos

Antes de fechar um contrato conheça sua matéria prima e suas condições de produzi-la.
Esse tipo de entrega também é focada no aspecto, só que também depende da bebida que foi negociada no momento do fechamento do contrato.

É importante saber que várias empresas oferecem ágio por peneira e % de defeitos.

Aconselhamos novamente a secagem grão a grão, amontoando em quantidades menores e sempre virando o café para que a seca seja uniforme. 

 

Concursos de qualidade

É importante saber que nesses casos o aspecto é o menos avaliado. Atente-se só para que não haja presença de grãos pretos e ardidos, o importante é a qualidade.

Preste muita atenção no terreiro para que não pegue sol em excesso e chuva, a colheita manual e seletiva é uma boa opção, escolha o melhor tipo de processamento natural ou via úmida (cereja descascado).

O café natural está sujeito a sofrer alteração de qualidade por ter um longo período de secagem associados a fatores climáticos, necessitando maior atenção no processo, mas também podendo apresentar notas muito diferentes caso tenha o controle adequado.

É interessante investir em tecnologia de fermentação para melhorar a qualidade dos grãos, cafés exóticos são sempre bem aceitos, mas é importante saber que cafés de fermentação induzida perdem características mais rápido no processo de armazenagem.

Lembre-se que o pós-colheita do café pode manter e até mesmo melhorar a qualidade do seu produto.

Conheça seus talhões para escolher o que mais produz características diferenciadas. Cafés de concursos são vendidos em nano ou micro lotes e o valor agregado em cada saca é superior aos demais cafés.

 

Exportação de café

O preparo para o café de exportação é essencial, pois esse café tem que ser beneficiado, sem apresentar bebida com presença de fenótipos (defeitos). É necessário o cuidado com a secagem e armazenamento, escolher um bom armazém para esse trabalho é importante.  

Em todos os casos é necessário também atenção na umidade em média o máximo permitido é 12,5% para cafés comerciais e 12% para cafés especiais.

Tenha atenção na  armazenagem do grão, que seja em ambiente seco e limpo, longe de odores e umidade, descascando o café mais próximo da venda e entrega, para que seu aspecto e qualidade sejam mantidos, sendo a umidade ideal 11,5%.

Uma resposta

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *