Saiba como a rastreabilidade pode aumentar em 7x o seu lucro.


Temos falado muito nos últimos posts sobre rastreabilidade e mapeamento dos talhões para se ter um primeiro conhecimento da sua matéria-prima e uma primeira ideia da qualidade das suas lavouras para poder traçar as estratégias corretas no pós-colheita e atingir maiores valores nas vendas.

Os cuidados nos terreiros (tanto suspensos, quanto convencionais) são de extrema importância para a boa qualidade dos grãos, podendo prevenir grande parte dos defeitos, como os famosos grãos ardidos, que aparecem em menor ou maior quantidade em função dos trabalhos de secagem realizados e intensificar notas sensoriais mais exóticas conferindo aos lotes sabores especiais e consequentemente maiores valores na venda das sacas.

A secagem no terreiro deve ser feita de forma individual, lote por lote, tudo para garantir a rastreabilidade, o controle e a transparência das informações de cada café, as etapas são:

  1. Em cada café colhido, ao final do dia, enumerar os lotes e anotar as informações como, quantidade de medidas, data da colheita, forma de colheita (manual, derriça, mecanizada, seletiva, etc.) e nome do talhão colhido.

  2. Essas são as informações que ficam em cada lote no terreiro, podendo utilizar materiais recicláveis da própria fazenda como cano de pvc ou garrafas pet para essas anotações.

  3. Em cada lote que chega no terreiro é necessário criar uma espécie de diário com as informações de pós-colheita, se foi realizada a separação via úmida, se será fermentado naturalmente e por quanto tempo, se fez teste de maceração carbônica ou secagem básica grão a grão, etc.

  4. Todos os dias devemos anotar a temperatura da massa (que precisa checar várias vezes ao dia, não passando de 35°, se possível), quantas vezes foi rodado (manual ou rodomoto), se foi enleirado ou amontoado, se choveu ou pegou chuva, se cobriu com pano e lona ou apenas um ou outro, etc.

  5. Ao retirar o café do terreiro anotar, para cada lote, qual foi a umidade e qual foi o destino, se já foi direto para benefício ou saiu para descanso (anotar a moega).

  6. Todas essas informações do lote devem ser anotadas no dia-a-dia dos terreiros em pranchetas em um arquivo excel ou se preferir em um sistema mais inteligente como a Plataforma de Rastreabilidade da Flowins que está disponível com o Gerente Flowins, se tiver interesse clique e cadastre-se aqui.

Os processos na fazenda precisam ser rastreados para que o produtor consiga otimizar as suas tomadas de decisão. O que acontece muito na maioria das propriedades é que os dados existem mas são soltos em vários papéis ou tabelas de excel perdidas entre os arquivos mortos do computador, e dados por dados não resolvem, é importante saber analisá-los.

Temos como exemplo produtores Flowins que ano passado aumentaram em 7x o seu lucro apenas por saber qual era a real qualidade do que ele produzia, tendo consciência do mercado e acesso aos compradores certos, na hora certa para o seu café.

Quando analisamos dados e criamos um histórico da propriedade e dos talhões conseguimos criar processos e otimizar as decisões, tendo mais consciência do que produzimos, acesso a melhores mercados e consequentemente melhor valor de venda.

Aprendemos que o processo pós-colheita é responsável por mais de 60% da qualidade de seu café e a assertividade na análise pode ser determinante para encontrar o comprador ideal. Pelo processo tradicional de vendas: a falta de transparência nas avaliações, os intermediários e a má seleção dos compradores costuma fazer você perder muito dinheiro sem perceber.

Mais um papo de produtor para produtor, se tiver qualquer dúvida entre em contato, será um prazer trocar ideia e ajudá-los a aumentar os seus lucros na venda de suas sacas trazendo conhecimento e empoderamento para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *