Chuva, umidade, sol… terreiros de café geralmente são expostos às intempéries e deixam muitas vezes os produtores de café de cabelo em pé. Mas não são só essas questões que desafiam o cafeicultor no período de secagem dos seus lotes.

Sabemos que o pós-colheita é responsável por 60% da qualidade do café e que o processo de secagem é uma das etapas mais importantes para garantir a qualidade do produto na xícara, mas para o café chegar até a umidade correta para seu benefício o produtor precisa superar vários desafios.

Imprevistos durante a secagem do café

Listamos alguns pontos de atenção para que você esteja cada vez mais preparado para lidar com os imprevistos durante a secagem do seu café.

Chuva

Um dos pontos de atenção em todas as safras é a chuva. Terreiros de café muitas vezes são expostos e não possuem cobertura, o que dificulta bastante em tempos chuvosos.

Com os grãos esparramados no terreiro, uma boa prática é amontoar os cafés e cobri-los com pano e lona, mas atenção, o café só deve ser amontoado quando já estiver de meia seca, umidade menor ou igual a 18%.

Após a chuva passar, aguardar o terreiro secar e esparramar novamente o café para terminar a secagem, atingindo o ponto ótimo de umidade.

Caso você não tenha lona e pano o suficiente ou o café ainda esteja com umidade superior a 18%, o aconselhável é fazer várias leiras de 15cm, no sentido da declividade do terreiro e revolvê-las até secar a massa de café e também as partes do terreiro que estiverem molhadas.

Estar sempre atento às previsões e se preparar com antecedência, evita que seja pego de surpresa, pois a chuva pode afetar diretamente a qualidade do seu café, principalmente no aspecto físico.

Fungos

Outro ponto de atenção é para os fungos que podem surgir, tanto pela umidade do ar quanto pelo sereno da noite, caso aconteça de aparecer fungos na massa de café deve-se mexer toda a camada e deixá-la bem fina, para que a umidade não se alastre e seja contida naturalmente, evitando danos futuros à bebida.

Falta de espaço

Um imprevisto comum durante o período de secagem é a falta de espaço, muitas vezes acarretando no atraso de colheita das lavouras. Para que isso não aconteça devemos desocupar os terreiros, colocando lotes que já atingiram 15% de umidade para descanso.

Podem ser utilizadas moegas, mas também esses descansos podem acontecer em bags. Essa estratégia ajuda na liberação de espaço e também na melhoria da qualidade do seu café.

Mão de obra

Se caso você sofra com pouca mão de obra, espalhe os cafés bem finos para evitar ter que dispor de pessoas para rodá-los ou invista em secadores estáticos e rotativos. Essa é uma boa estratégia para quem quer diminuir o quadro de funcionários direto nos terreiros.

Lembre-se também de fazer a manutenção correta nos seus implementos, tratores e infra-estrutura, em um momento tão delicado que é a colheita, a última coisa que queremos é passar pelo stress de não ter o maquinário em perfeito estado na hora que mais precisamos dele.

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *